E se as linguagens de programação fossem jogadores de futebol?

Em que posição cada linguagem iria jogar?
Seria um craque, estaria fora de forma ou um nato goleador...?

Adaptada de goncim

Java

Zagueiro das antigas, pesadão. É muito famoso e comentado: uns odeiam, outros amam.
Chegou a ser cogitado para ser o capitão do time, mas só para dirigir uma palavrinha ao juiz ele precisava declarar uma classe pública, um método estático main() para só então dizer alguma coisa via System.out.println(). Nenhum árbitro teria a paciência de esperar tanto.

Pascal

Bom jogador, disciplinado taticamente, desde que expliquem para ele em detalhes, durante a preleção (interface), o que deve fazer durante o jogo (implementation). Como podem deduzir, improviso não é com ele.

Delphi

Irmão mais novo do Pascal, mais bonitinho (segundo as marias-chuteiras), só que, por outro lado, bem mais pesado.

C

Rápido, pequeno (baixinho), eficiente e goleador, mas com um grande defeito de caráter: colocar toda a responsabilidade pelos seus erros nas mãos do técnico. Demora a fazer algo, mas quando faz é bem feito e todos se rendem a ele.

C++

Irmão do meio do C, mais educadinho e arrumadinho . Vive se gabando de ter herdado suas características e paradigmas de duas escolas ao mesmo tempo.
Quando seu irmão mais velho o chama de fresco, ele responde: "você que é um grosso e sem classe".

C#

Irmão mais novo do C e do C++, o mais educado da família. Mas só joga na presença do seu empresário, um tal de Dotinéti.
Apesar de ser da família C, há quem diga que é adotado.
Seu ídolo é o jogador javanês.

PHP

Jogador versátil, atua tanto na linha (de comando) quanto nas redes. É o garoto de recados do técnico (apesar de sua cara de interrogação), echoando as instruções dos técnicos para os colegas. Alguns o consideram um mercenário, por ostentar inúmeros $.

Ruby

Atleta surpreendente, tem sempre uma jogada nova. Pena que muitos técnicos não lhe dão o devido valor, talvez porque não consigam compreendê-lo muito bem. Rende melhor calçando as chuteiras OnRailsTM.

Python

Elegante, bem simples, todos se dão bem com ele, joga pelas laterais, mas costuma deixar muito espaço à esquerda, o que faz a alegria do ataque adversário.

Perl

Jogador estrangeiro, seus fãs são os mais chatos e fanáticos, além de um tanto quanto mercenário, tem a fama de jogar bem e se dar bom com o jogador de C. Vários questionam se vale a pena investir nesse gringo ou no Python. O difícil é falar a língua dele…

ASP/VBScript

Limitado tecnicamente e já em fim de carreira. Fez muito sucesso no passado, só continua jogando porque alguns treinadores o consideram “insubstituível”. Vive brigando pela posição com o PHP. Também faz parte da turma dos mercenários, preocupado com a percentagem (%) do bicho em caso de vitória da equipe.

Flex/ActionScript

Bom jogador, é bonitão (não vive sem um Flash), mas também polêmico. É um dos poucos atletas a ter um hate club, liderado pela Maçãzinha (da turma da Moranguinho).

2 comentários:

Erotides disse...

kkkk. Muito bom. Parabéns pelo site.

Ewerton Rodrigues disse...

muito bom, achei legal