A profissão das linguagens de programação

Não está fácil para ninguém.
Nem para as linguagens de programação.

Então elas decidiram ir à luta e procurar algum emprego.
Confira agora quais os cargos e funções que as linguagens de programação exercem.







Os cargos das linguagens de programação

O conteúdo deste artigo é de humor e não tem a intenção de ofender ou denegrir ninguém, linguagem ou profissão alguma.
Caso se sinta ofendido, deixe de frescura.
Se for copiar, por favor, citar a fonte.

  • C

O C é aquele velho e antigo dono da empresa. É o manda-chuva, aquele senhor de idade, sério e com cara de malvado.
Faz o que quer, e o que não quer. Manda em tudo. Suas regras são poucas, mas bem rígidas.

Tem capacidade pra levar um empreendimento à qualquer nível, quando seu trabalho é bem feito.
Porém, quando falha, a coisa fica realmente feia.

  • C++

É vice-presidente. Assim como o C, é muito competente e pode fazer muita coisa, mas não tudo que o C faz, nem da mesma maneira e nem com a mesma eficiência, mas geralmente fica bem perto do C.

Ele é mais flexível, é mais fácil de se comunicar com ele, é menos rígido e é aberto à novos paradigmas, diferente do seu chefe C, que é todo estruturado.

  • Java

Auxiliar administrativo ou secretário . É totalmente flexível, pode trabalhar com várias empresas, setores e fazer muita coisa.
Pode ser um pouco lento, demorar a entender e executar algo, mas consegue fazer quase tudo, e em todo lugar.
Pode trabalhar em um grande restaurante, empreiteira, escritório de advocacia ou em um bar de um amigo.

Passou muito tempo para aprender a sua profissão, estudou muitas regras, APIs, classes e bibliotecas.
Mas na hora do trabalho, seu framework faz a maior parte do serviço.

É um excelente comunicador, pois consegue se relacionar com tudo e todos, diferente de seus chefes C e C++.

  • Assembly

É o governo, ou uma espécia de matrix. Ele que manda em tudo, decide o que pode e o que não pode ser feito, em todas as empresas. Tudo passa por ele, poucos vêem ele agindo, mas ele está sempre presente.

As empresas mais desesperadas recorrem a ele para resolverem seus problemas.

  • Linguagens .NET

São boas para as funções que se propõem, mas só sabem trabalhar em uma empresa.
Podem fazer muitas coisas, de uma maneira bonita e bem feita. Mas só para aquela empresa.
Mas estão muito bem bem financeiramente, pois a maioria dos clientes só sabem da existência dessa única empresa.




  • Python

Matador de aluguel.
Você paga, ele vai lá, dá dois tiros e resolve de maneira simples rápida.

  • Perl

Matador de aluguel chinês.
É como o Python, bem flexível e resolve qualquer negócio, mas demora um pouco pra você entender a maneira que ele fala.

  • JavaScript


Promotor de vendas de produtos (tipo Avon) e vendedores.
Só trabalha com o cliente, em diálogo direto com ele. As vezes o entende, as vezes não.
Mas é impossível uma empresa se comunicar com o mundo (internet) sem ele. É bem leve e eficaz, mas só sabe trabalhar em campo.

  • PHP

Gerente de uma loja.
Trabalha com clientes também, mas não gosta de ter contato com eles. Pra isso, trabalha junto com seus colegas promotores e vendedores.

Vez e outra dá uma voltinha na loja, mas evita ter contato com os usuários. Prefere trabalhar nos bastidores, organizando tudo no servidor. Você sabe que ele existe, trabalha e gerencia, mas provavelmente nunca o viu em ação.

  • Objective-C / Delphi

Dono de locadora de DVDs.
Foi extremamente útil, popular e amado. Infelizmente está sumindo e seu trabalho está se tornando raro.








  • HTML

Trabalha com marketing multinível (Telexfree, BBOM, Priples e outras pirâmides).
Na verdade, ele acha que trabalha, mas todos sabem que não, pois nem linguagem de programação é.
Mas tem gente que acha que ele é, e trabalha, geralmente são egípcios.

  • CSS


Amigo do HTML, só faz apoiar ele, seja lá o que ele faça.
Mas tem uma mente mais aberta e pode fazer coisas bem bacanas, sendo mais dinâmicos que o HTML.

  • Cobol


Muito rico, se aposentou.

  • FORTRAN


(In memorian)

2 comentários:

Zero fw disse...

Parabéns pelo artigo, ficou muito bom.

clid saniny disse...

Bom. Gostei bastante. Parabens