vi e vim, parte 1: O que é?


Shell: vi e vim, abrindo, salvando, fechando e se movendo nele
Shell: vi e vim, comandos básicos de edição


vi é um editor de textos, padrão nos sistemas Unix, criado na década de 70.
Vim é uma versao melhorada do vi.
Atualmente, embora falemos do vi, o que usamos na verdade é o Vim.

Num primeiro contato com o vi (digite vi no terminal de comando), estranhamos bastante o fato de usarmos o terminal como editor de textos. Parece inútil e lento para editar textos, uma vez que não podemos usar o mouse.


É aí que a gente se engana. Não percerbemos, mas, para editar texto, o mouse mais atrapalha que ajuda, pois temos que constantemente tirar as mãos do teclado e leva-las até o mouse e vice-versa.

O diferencial do vi/vim são os atalhos e modo de se mover no editor de texto de uma maneira única, rápida e bem eficiente,pois os atalhos foram designados de modo a não termos que movimentar muito as mãos sobre o teclado, além de serem fáceis de lembrar. Depois que se pega o jeito, o mouse não faz a menor diferença.

Quem já viu alguém usando fluentemente o vi/vim, sabe da eficiência de tal profissional.

Deve-se lembrar, porém, que quando ele foi criado não havia muitas opções de editores de textos, ou de softwars de um modo geral. Então é compreensível porque pessoas que usam ele há mais de uma década o defenderem tanto.
Naquela época não havia interface gráfica, tudo era no terminal, então era normal ter um editor de textos no terminal.

Hoje praticamente tudo é voltado para as interface gráficas. E quem já programou em C++ com o Visual Studio, por exemplo, sabe que as IDE's geram milhares de linhas de códigos apenas para a parte gráfica.
Digitar essas linhas de código é quase que humanamente impossível, embora haja plugins e vários recursos para turbinar o vi/vim.

Mas, sem dúvidas, vale a pena aprender. Embora leve tempo, te deixa mais eficiente e rápido, além de ser altamente respeitado por outros profissionais da área. Muitas vezes, em sistemas Unix, vi é a única opção para editar arquivos do sistema a partir do boot, por exemplo.


Eu, particularmente, uso para pequenos códigos, principalmente scripts.
Lembrando que podemos conectar o vim com diversos compiladores, das mais diversas linguagens.

Uma boa dica é imprimir a seguinte tabela e deixar perto do computador, e usar o máximo possível o Vim.




Estudando por: Learning the vi and Vim Editors, Seventh Edition
by Arnold Robbins, Elbert Hannah, and Linda Lamb

Nenhum comentário: