sed, parte X: Por onde prosseguir e Considerações Finais

parte I: O que é e para que serve
parte II: Enviando dados pro sed
parte III: Selecionando as linhas em que vamos trabalhar
parte IV: Substituindo
parte V: Scripts em sed
parte VI: Expressões Regulares
parte VII: Referenciando com &
parte VIII: Back Reference
parte IX: Hold Space ou Espaço Reserva
parte X: Por onde prosseguir e Considerações Finais
parte XI: Comandos de uma linha só


Código-fonte do sed:    ftp://ftp.gnu.org/pub/gnu/sed
FAQ sobre o sed:    http://sed.sourceforge.net/sedfaq.html

No site: http://sed.sourceforge.net/grabbag/scripts/
encontramos uma série de dicas, códigos, curiosidades e, acredite, uma versão do sokoban e do arkanoid, feito em sed(!), por um brasileiro chamado Aurelio Marinho Jargar.

Além disso, o Aurelio(aurelio.net), ex- funcionário da Conectiva, criou o sedsed, que é um debugger, identador e transforma seu código sed em HTML!
O site pessoal do Aurélio é uma verdadeira fonte de estudos e informações, tanto de sed como de software livre, vim, emacs e valiosas experiências pessoais.
Ele também lançou um livro sobre Expressões Regulares, tanto livro impresso como on-line.
E o mais bacana, ele disponibilizou gratuitamente o livro on-line: http://aurelio.net/regex/guia/
O impresso já se esgotou! Uma verdadeira pérola, uma obrigação caso você trabalhe com sed ou expressões regulares de um modo geral.

Sed one-liners: http://sed.sourceforge.net/sed1line.txt
É um arquivo de texto com dezenas de comandos, comentados, de apenas uma linha, que são geniais e extremamente úteis.
Versão em português (não é a versão mais atualizada): http://sed.sourceforge.net/sed1line_pt-BR.html

Aconselho a você a continuar nessa jornada pelas ferramentas do Unix, com meu artigo sobre AWK.
Com isso, você terá um pouco mais de controle e informação sobre esse poderoso sistema operacional.

No mais, deixo aqui a dica que deixei lá:


Uma boa prática que deve ser mantida por quem costuma trabalhar com dados, textos e qualquer tipo informações, é a padronização. De nada adianta você saber usar AWK, sed, Perl, Python... Se os seus arquivos possuem informações desorganizadas.

Separe bem seus arquivos em pastas, com nomes dos arquivos bem expressivos, de preferência com conteúdo o mais simples e direto possível. Isso vai facilitar muito para, depois, você minar informações, comparar e agrupá-las.

Todo mundo sabe a genialidade por trás da implementação do GNU/Linux, mas nem todo mundo lembra da ORGANIZAÇÃO desse sistema.

Seja organizado e padronizado também. Não é bom, é essencial.

Um comentário:

Edson Pessotti disse...

É Aurélio Marinho Jargas.
Abçs.
Edson Pessotti